Novo Exame: Elastografia

A elastografia é um novo método de diagnóstico por imagem e mede a compressibilidade (ou dureza) dos órgãos e tecidos, através da observação da variação da elasticidade tecidual à compressão.

Cada tecido possui um determinado grau de dureza, sendo o câncer mais duro do que tecidos normais, podendo ser descoberto mesmo quando ele estiver localizado nos tecidos de pouco acesso à palpação. O câncer poderá ser detectado pela elastografia ao se constatar uma região endurecida em relação ao tecido glandular ao seu redor.

Tem se revelado particularmente útil nas lesões das mamas e da tireoide, além de ser capaz de quantificar a fibrose hepática. Na doença crônica do fígado o prognóstico e a conduta dependem da extensão e progressão da fibrose hepática e na hepatite B ou C crônica o grau da fibrose é o fator mais importante indicador da evolução e influencia a indicação do tratamento. Trabalhos recentes sugerem que a fibrose pode modificar-se com o tratamento e essa melhora ou piora pode ser detectada com facilidade pela elastografia anual de acompanhamento.

A doença crônica prolongada do fígado, que afeta milhões de pessoas no mundo todo e necessita ser acompanhada, tem conduta variável conforme o grau fibrose presente, inclusive determinando se há necessidade de medicação antiviral. O grau de fibrose do fígado pode ser detectado pela elastografia, reduzindo o número de biópsias hepáticas, que são invasivas e apresentam maiores riscos (hemorragia, peritonite, abscessos, etc )

Fale conosco